.

.

FAÇA PARTE



Objetivos

Bem vindo ao meu BLOG, aqui falo dos mais diversos assuntos e temas referentes a minha área de atuação... tais como:

Artes Marciais, em especial do Kung Fu Wing Chun, de maneira informativa, através de artigos, curiosidades, etc...

Também sobre os mais diversos temas relacionados a Educação Física e Saúde em geral, que estão dentro da minha formação acadêmica...

Ainda mais, informações e super dicas sobre tudo que eu gosto e curto fazer...

Para o efeito, trago no BLOG informações práticas tais: como teoria, técnicas, treinamentos, endereço da minha academia, possíveis parcerias, etc. Aqui o leitor poderá contatar-me através do meu E-mail/Messenger: jocerlan23@hotmail.com ou pelo Fone: (82) 98828-4386.

LEIA SOBRE MINHA HISTÓRIA NO WING CHUN



sábado, 2 de janeiro de 2010

As classes de ‘Mestres’ de Artes Marciais

Um pequeno relato sobre a realidade e incompetência de muitos charlatões que se dizem mestre ou professores de artes marciais, sendo que Artes Marciais tem como significado, Artes da Guerra.

Para ser praticante de artes marciais é necessário entender o que é a arte marcial, me deparo constantemente com pessoas que falam: eu sou lutador de artes marciais, citando estilo X ou Y.

Porém quando pergunto quantas lutas ela tem a resposta sempre é decepcionante, pois quase sempre é: “nenhuma” e complementa “faço tal arte não para lutar e sim para não lutar”. O que para mim é o mesmo que: “não sei lutar, mas faço uns movimentos sem sentido muito legais.”.

A realidade é que toda arte marcial é para lutar e expor seu corpo ao limite de sua resistência e ao exibicionismo de suas habilidades e perícias, pois não dar para saber que uma fruta é doce, se não provarmos.

Certa vez perguntei para um praticante de um estilo frustrado (defino assim criadores de estilos sem aptidão alguma em nada que inventam estilos por terem falhado em seus estilos iniciais por serem realmente ineptos), se o mesmo costumava lutar nessa modalidade, rápido e decorado ele me falou:
Eu não sou lutador, sou um guerreiro, (complementando ainda com uma belíssima explicação), Lutadores, lutam! Guerreiros sobrevivem as diversidades do dia a dia.

Pensei que talvez o professor dele não tenha muita noção disso que ele ensina aos seus alunos, pois ao desafiar um professor da mesma modalidade, tive meu duelo devidamente podado por essa mesma frase... Mas a questão real seja que, qual a diferença de um lutador para um guerreiro, sendo que talvez usar o termo guerreiro explicite de uma forma mais clara a intenção de combatividade, já que guerreiro é uma pessoa que participa de guerras.

Tem também aqueles que sempre dizem, meu tempo já passou, hoje em dia eu sou o mestre, não luto mais, ou então usam a desculpa, “Ah! Volte daqui a um mês, pois eu não estou pronto”.

Penso que um mestre não seria aquela pessoa que deveria está sempre pronta? Pois o mesmo alcançou a maestria ou perfeição em sua modalidade. Mas infelizmente, ser mestre é um titulo bonito que está sendo usado por pessoas sem a menor qualificação técnica ou filosofia, etc.

Perdendo ou ganhando não existe nada mais prazeroso que lutar, em especial quando você dedica boa parte de sua vida para isso, pois se escolheu artes marciais, imagina-se que seja uma pessoa que gosta de lutar. Entendendo que para lutar com alguém, não é necessário ser inimigo, os professores ou ‘mestre’ deveriam ensinar isso a seus alunos, pois muitos pensam que um desafio para troca de impressões ou conhecimentos seja uma afronta pessoal, que deve ser levada ao extremo.
Surgem então as estúpidas insinuações, atualmente muito usada pelos níveis mais baixos: “Nada se resolve mais com luta não, hoje em dia é na bala”. Até entendo que no Brasil, isso é banalizado, já que qualquer um pode ter uma arma ilegal.

Outra classe que para mim é a mais deplorável e baixa é a classe do “Meu estilo é melhor que o seu” ou “Treino o melhor estilo do mundo”, porém ele não participa de lutas, pois não tem nada que provar para ninguém.
Acho que essa seja a melhor maneira de não lutar, pois ainda afirmam que: “meu estilo é cristão” ou “Ele é o estilo da não violência, o lutar para não lutar”.

Eu até gosto do principio da não-violência pregado por Gandhi na Índia, mas talvez esses mestres que pregam essa sublime frase não tenham lido na realidade nada sobre Gandhi, em especial quando o mesmo deixa claro que a não-violência é um estado mental de controlar a sua violência em situações diversas, ou seja, adotar um estado de tranqüilidade diante de situações inesperadas. Bem, apesar de não acreditar muito nos preceitos de Gandhi, já que o mesmo usava figuras diferenciadas para suas bases filosóficas e tendo usado essa questão em um momento de desespero, pois sabia que era impossível a Índia se libertar com uso da força bruta, sábio ele nesse aspecto, pois foi mais pela questão de comover o resto do mundo com o sacrifício de alguns, no caso dele foi certo, afinal tratava-se de ser contra a Inglaterra.

Mestres mostrem um pouco de humildade, seja perdendo ou ganhando, revivam o espírito de lutador, sendo assim façam o que a profissão os dispõe a fazer, Lutar!

Ilustres lutadores que fizeram seu nome em artes marciais lutando:

Duncan Leung
Wing Chun – China
Seguindo a tendência de seu mestre Yip Man, constantemente colocava em prova sua eficácia em lutas, aceitando diversos desafiantes de diversas modalidades, tendo criado a Applied Wing Chun para preservar seu legado.

Bruce Lee
Jeet Kune Do/ Wing Chun – EUA
Famosos por seus filmes de Kung Fu, porém em suas lutas reais, que foram muitas, sempre usava o autentico Kung Fu Chinês para vencer seus adversários.

Helio Gracie e Carlos Gracie
Jiu-Jitsu – Brasil
Eles Encontraram nos desafios uma maneira de provar que seu estilo de luta era eficiente, promovendo vários duelos e tendo sido os precursores do Vale Tudo em Ringue.

Masutatsu Oyama
Karate – Coréia Meridional
Criando do Karate Kyokushin, seguia a tendência dos desafios, muito forte e poucas vezes derrotado fez solidificou seu nome no mundo através do Karate.

Kimbo Slice
Boxe de Rua – EUA
Criou fama brigando na rua topando lutar com qualquer um que aceitasse seus desafios, muito forte, porém adepto do bateu/apanha.


Nenhum comentário:

Postar um comentário