.

.

FAÇA PARTE



Objetivos

Bem vindo ao meu BLOG, aqui falo dos mais diversos assuntos e temas referentes a minha área de atuação... tais como:

Artes Marciais, em especial do Kung Fu Wing Chun, de maneira informativa, através de artigos, curiosidades, etc...

Também sobre os mais diversos temas relacionados a Educação Física e Saúde em geral, que estão dentro da minha formação acadêmica...

Ainda mais, informações e super dicas sobre tudo que eu gosto e curto fazer...

Para o efeito, trago no BLOG informações práticas tais: como teoria, técnicas, treinamentos, endereço da minha academia, possíveis parcerias, etc. Aqui o leitor poderá contatar-me através do meu E-mail/Messenger: jocerlan23@hotmail.com ou pelo Fone: (82) 98828-4386.

LEIA SOBRE MINHA HISTÓRIA NO WING CHUN



domingo, 15 de agosto de 2010

O que Yip Man ensinou-me sobre a velocidade

Relato do Mestre Duncan Leung criador do sistema Applied Wing Chun.

Recentemente um conhecido me deu uma cópia do Qigong / Kung Fu Magazine, de Março de 1999, que trazia um artigo escrito por Mestre Ron Heimberger. Meu amigo não entendeu muito bem os princípios que o Mestre Heimberger estava tentando elucidar e por causa da minha experiência como aluno privado de Yip Man, e meu envolvimento subseqüente em Wing Chun Kung Fu, ele pensou que eu poderia ser capaz de lançar alguma luz sobre o assunto. Peço a indulgência do leitor para a minha tentativa de explicar o que Yip Man ensinou-me.

Desde o meu Inglês não é muito bom, eu li o artigo várias vezes. Fiquei feliz que Mestre Heimberger gentilmente toma parte de seu tempo para educar o público. Se todos os instrutores de Wing Chun tivessem uma mente aberta, como ele, passível de razão, e estivessem dispostos a ir para a dificuldade de explicar suas idéias e experiências com os outros, estou certo de que iria beneficiar todos os interessados na arte. No entanto, existem algumas partes do artigo do Mestre Heimberger com a qual eu não concordo. Alguns pontos que o autor faz é um tanto obscura para mim, especialmente suas referências a Jacob Bronowski e Albert Einstein. Por exemplo, Mestre Heimberger menciona que Bronowski - comentando sobre a Segunda Lei de Newton do movimento - disse que a força é igual a massa vezes aceleração ao quadrado. Isso me confunde, pois, como eu o entendo, Segunda Lei de Newton afirma que SF = ma, que não aceleração quadrados.

Como o Sr. Heimberger discute velocidade em Wing Chun, eu gostaria de ter a liberdade de compartilhar a minha interpretação dos princípios e teorias sobre a velocidade com base no que Sifu Yip Man ensinou a mim e na minha própria experiência. Naturalmente, o que eu escrevo aqui é filtrado através das minhas próprias percepções e preconceitos, eu certamente não tenho a pretensão de falar das famílias Wing Chun, e gostaria de receber a correção que é oferecido. A minha esperança é que muitos membros Wing Chun irá compartilhar suas idéias com todos nós, não importa o que eles aprenderam. A experiência de usar o Wing Chun e suas técnicas de luta é o que conta. Afinal, nenhuma luta é a mesma. Nós podemos sempre aprender algo novo, ganhando ou perdendo e descobrir algo de cada encontro.

O que faz o estilo Wing Chun tão interessante é que a pessoa não tem que confiar na constituição física (porte físico), mas em uma seqüência lógica de movimentos econômicos. Certamente, a velocidade é extremamente importante na luta. Entretanto, não importa o quão difícil se treina, há quanto tempo trabalha para melhorar, sempre há limitações físicas. Você sempre pode encontrar alguém mais rápido do que você. Algumas pessoas simplesmente nasceram com mais talento. Wing Chun permite a possibilidade de superar o adversário superior inerente uma velocidade, aplicando os princípios da arte. Yip Man ensinou que no Wing Chun, há vários tipos de velocidade. Se você não consegue superar o seu adversário com um tipo de velocidade, você pode vencê-lo com outro. Em outras palavras, se você pode aplicar a teoria da velocidade do Wing Chun, você pode realmente tornar-se mais rápido. Neste sentido, existem quatro áreas de interesse:

1. VELOCIDADE DA VIAGEM: Este é o tipo de velocidade que normalmente se referem, ou seja, um soco ou chute, a velocidade que a velocidade pode ser calculada em metros por segundo. Com a prática consistente, melhora gradualmente a velocidade do movimento.

2. VELOCIDADE DE DISTÂNCIA: A teoria do Wing Chun em linha reta, simplesmente, que uma linha reta entre dois pontos é a distância mais curta. Portanto, perfurando em linha reta é mais curto e mais rápido do que um soco gancho ou um swing. Para trazer seu pé com um roundhouse kick (chute giratorio tipicamente usado por Chuck Norris) na cabeça de um adversário cobrir uma distância maior, ou seja, é mais rápido um soco curto na cabeça. É o mesmo que tentar dar um soco na canela, ou seja, é muito mais curto e mais rápido para chutar a canela. Para usar uma analogia: se você e eu estamos ambos na frente de um prédio e fizer uma corrida até a porta de volta e você ir ao redor do edifício, enquanto eu vou direto no prédio pela porta da frente para a porta de trás, você pode ser o corredor mais rápido, mas pode chegar lá antes de você, porque eu tenho menos distância a percorrer.

3. VELOCIDADE DE PRONTIDÃO: A partir de uma posição ereta em repouso, quando se tenta dar um soco forte ou tenta chutar com força, é típico erguer a perna ou o braço antes de executar o movimento. Mostrando todo o movimento antes e isso faz perder um precioso tempo no movimento. No Wing Chun, o poder não é gerado apenas pelo movimento da mão ou do pé, por isso não há necessidade de ergue-se. Usa-se o outro lado do corpo para puxar de volta o soco ou chute simultaneamente. Por exemplo, se um vai jogar um soco esquerdo, inicia uma potência puxando o braço direito e ombro para trás tão rápido quanto ele ou ela puder isso é quase o mesmo que socar com a esquerda também e ao mesmo tempo.

4. VELOCIDADE DE REAÇÃO: Em geral, as pessoas passam mais tempo praticando outras técnicas em suas formas sozinho, até que eles são muito boas técnicas, mas em um combate real a aplicação é ineficaz. Isto é como aprender a andar de bicicleta, sentando em uma cadeira e mover as pernas e os braços, simulando a experiência de bicicleta. Quando essa pessoa realmente tenta montar na bicicleta, ele ou ela certamente irá cair. Isso ocorre porque os reflexos e sensação de equilíbrio não foram desenvolvidos. Yip Man costumava dizer que se você quer aprender a nadar, tem que ir para a água, não apenas mover seus braços e pernas e pensar que você é um nadador. A luta exige pelo menos duas pessoas. Você pode treinar e lutar com você mesmo durante todo o dia, mas se você aplicar as técnicas com outra pessoa, você não irá muito longe.

Wing Chun possui apenas três formas. Depois de aprender e compreender a primeira forma, treina Chi Sau, que exige que duas pessoas, e a partir do qual se desenvolve o sentimento de contato e reflexo. Depois, há os exercícios técnica que também tem duas pessoas. Quando você trabalha com os exercícios mais e mais, mês e mês, eles se tornam hábito uma segunda natureza. Quando o ataque vem você vai reagir sem pensar. Lutando acontece tão rápido e você pode ficar chateada, com raiva, despreparados ou mesmo medo e não há tempo para pensar.

Essas são as teorias de Wing Chun velocidade que eu aprendi de Yip Man.

SiFu Duncan Leung


Jocerlan Brandão

Iniciei no Wing Chun com 16 anos em treinamentos informais no bairro do jacintinho, tendo também treinado outros estilos de artes marciais em períodos não menores que dois anos e em ambos tendo conquistado graduações intermediarias.

Mas sempre mantive meus treinos em Wing Chun como sendo prioritários, fosse com amigos ou insistindo para o professor que na época também sofreu com problemas de autenticação de professores que ensinavam sem terem permissão nem seguirem uma família especifica no estilo, e sempre éramos forçados a rever tudo ou então começar do zero, problema esse muito comum com diversos estilos no estado de Alagoas em meados de 1990 a 1998, mas facilmente evitado nos dias atuais graças a internet, pois hoje facilmente podemos conhecer os professores e seus representantes e assim podemos poupar tempo e dinheiro evitando treinar com gente sem reconhecimento.

Em 2009 depois de 2 anos praticamente afastado do Wing Chun, conheci, voltei a treinar e adquiri minha graduação devidamente reconhecida em São Paulo com o meu Sifu Marcelo Florentino, e como discípulo dele eu represento a Applied Wing Chun Kung Fu no estado de Alagoas.

Hoje me dedico a mudar esse quadro de incerteza deixado pelos péssimos professores do passado em meu estado, ensinando de forma limpa e transparente esse que sem duvidas é um dos mais eficientes estilos de kung fu do mundo.


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Os ossos precisam de alimentação, sol e impacto

Excelente artigo sobre como cuidar dos seus ossos e dessa maneira evitar doenças relacionadas, apesar de ser o artigo voltado para um grupo distinto o informa é fundamental para qualquer faixa etária, sempre lembrando que antes de iniciar uma atividade física especialmente na área de arte marciais confira a formação e procedência do professor para evitar problemas para sua saúde, boa leitura.

A vez do leitor - Gostei da matéria passada sobre os benefícios do sol principalmente porque você não disse, como em todo mundo fala, que sol é só até as dez ou depois das quatro horas. A dica dos cachorros eu achei ótima e coerente. Como você falou da osteoporose gostaria que aprofundasse mais porque acho também um assunto ainda cercado de muitas verdades e mentiras principalmente quanto à exercício de impacto. Por exemplo, o impacto da hidroginástica é suficiente como se fala? Marco Antônio.

Amigo leitor - Você tem razão quando sugere ser esse assunto ainda muito polêmico. Entretanto, alguns fatores já são bem estabelecidos e comprovados pela ciência quando se fala em ganho de massa óssea, como por exemplo, as ações da gravidade e a muscular. São dois fatores distintos sendo o primeiro mais importante face algumas pesquisas citadas em artigos médicos: "Pessoas acamadas, mesmo realizando 4 horas diárias de exercício intenso em ciclo ergômetro, deitado de costas, não conseguiram reverter a perda óssea decorrente da inatividade. Por outro lado, pessoas nas mesmas condições, que conseguiram apenas ficar de pé por três horas diárias, impediram a perda óssea".

Nas missões espaciais, um dos problemas enfrentados tem sido a perda de massa óssea por falta da gravidade e fazer exercício nessas condições não tem sido a solução.

No caso da hidroginástica, existem trabalhos em piscinas rasas, mostrando que o impacto gerado com a água na altura do meio de peito, guardada as devidas proporções, pode ser comparado ao ato de caminhar em terra firme. Isto porque o peso corporal da parte fora d'água, somado aos movimentos de saltitos, podem se aproximar ao peso do volume de água responsável pelo efeito do empuxo. Ou seja, existe o impacto e ação da gravidade.

O processo de construção e destruição do osso, respectivamente conhecido por osteoblasto e osteoclasto, assemelha-se ao processo de hipertrofia onde o músculo ao sofrer uma ação do estresse físico, reage produzindo hormônios anabolizantes (crescimento). Se o estresse for muito intenso pode ocorrer o efeito contrário conhecido por catabolismo. O osso precisa “sofrer” impacto e/ou pressão nas extremidades para a massa óssea ser estimulada.

Sabendo-se que os exercícios físicos com impacto estimulam hormônios anabolizantes, entre ele os sexuais, e que as células osteoblásticas, também são estimuladas pela ação hormonal, conclui-se o benefício dessas atividades.

Outro efeito fisiológico descrito na literatura é com relação ao estímulo elétrico nesse processo. Sendo a elasticidade uma das propriedades do tecido ósseo, as forças mecânicas geram uma corrente elétrica no mesmo sentido da força aplicada conhecida por propriedades piezoelétricas em função da presença de cristais de hidroxiapatita causando a migração dos osteoblastos. Ou seja, a ação mecânica gera corrente elétrica que atrai as células construtoras do osso. Daí a importância também da musculação e/ou ginástica localizada. Claro, a hidroginástica pode não ser a atividade mais indicada aos objetivos de "prevenção" da doença, mas para "fins terapêuticos" para as pessoas já acometidas, levando-se em consideração a segurança, é bem adequada. Na caminhada e na corrida entre outros exercícios com impacto, existe o risco de perda de equilíbrio, tropeços, quedas e a fratura, nesse caso com recuperação mais demorada. Caiu porque quebrou ou caiu e quebrou? A maioria dos casos de fratura de fêmur em função da osteoporose, descritos na literatura médica referem-se à primeira hipótese. Caiu porque quebrou.

Uma vez comprovada a melhora da densidade óssea, pode-se passar para a musculação sendo, por assim dizer, a segunda atividade na escala de segurança. O risco de quedas proveniente de choque com pessoas praticamente não existe, a intensidade é controlada e os aparelhos de hoje oferecem posição cômoda e equilibrada permitindo sobrecarga em grupos musculares isolados. Enfim, a saúde dos ossos depende de impacto, ação da gravidade, alimentação adequada e sol como vimos na semana passada.

Cartas para essa coluna:
Luiz Carlos de Moraes CREF/1 RJ 3529 - E-mail: lcmoraes@compuland.com.br

Para Refletir: “É melhor ser dono de uma moeda do que ser escravo de duas”. Provérbio grego.

Sobre a Ética: Pessoas de bem aprendem e ensinam educação. Quem não aprende por bem, por mal também não chega a lugar nenhum.


Obesidade Mórbida Aumenta 255% no Brasil


Outro artigo informativo sobre o crescimento da obesidade em nosso país e seus males, artigo informativo para você leitor conhecer um pouco dessa realidade assustadora que vem acompanhada do comodismo do homem moderno e seus maus hábitos alimentares, levando em consideração que obesidade é um assunto de utilidade publica que o governo também tem que fazer sua parte para evitar esse aumento.

Um aumento de 255% na prevalência da obesidade mórbida no Brasil - considerado “alarmante”, especialmente entre homens - foi um dos resultados encontrados no levantamento realizado pela pesquisadora Leonor Maria Pacheco Santos e equipe, do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília. A pesquisa incluiu os períodos de 1975-1976 (0,18%), 1989 (0,33%) e 2002-2003 (0,64%).

O trabalho é uma reanálise de inquéritos antropométricos nacionais sobre o assunto, divulgado neste mês de julho na publicação científica Obesity Surgery. Também foram utilizados dados sobre cirurgias bariátricas obtidos no Sistema de Informações Hospitalares do SUS, disponíveis online.

Segundo o artigo publicado, “houve uma taxa mais elevada no Sul nos dois primeiros levantamentos, mas a prevalência na região Sudeste aumentou constantemente, chegando a 0,77% em 2002-2003, alcançando o Sul”.

De acordo com dados divulgados, em 1999 o SUS passou a cobrir a cirurgia de obesidade mórbida e entre 2000-2006 o número de procedimentos aumentou seis vezes, chegando a 2500. As cirurgias bariátricas realizadas pelo SUS estiveram concentradas em primeiro lugar na região Sudeste, seguida pela região Sul.

Os especialistas classificam como urgente a adoção de medidas preventivas em relação à epidemia de obesidade no país.

por Beth Santos